Failtu.ga

Quem pesquisa ao detalhe a banda norte-americana Nirvana sabe que o ouro dessa história está nos cadernos, desenhos, bilhetes, rabiscos e anotações à mão feitas por Kurt Cobain. Da procura pelo nome definitivo da banda, passando por ideias para t-shirts, letras de músicas, argumentos para videoclipes e comentários sobre a luta e o dia a dia de uma banda em início de carreira, está tudo lá, nos cadernos e papeladas do guitarrista e vocalista. E um dos documentos que melhor informam como o som da banda foi forjado é a lista dos 50 melhores discos de todos os tempos "segundo os Nirvana".

Kurt Cobain

A lista vai desde referências mais obscuras - com bandas que fizeram parte da formação da cena de Seattle sem alcançar (ou mesmo querer alcançar) o interesse da mídia e o grande sucesso - até clássicos do rock. A lista não é numerada, portanto não é claro se há uma hierarquia entre os discos citados, mas é digno de nota que o primeiro disco anotado seja o clássico Raw Power, de Iggy Pop e os Stooges (uma evidente e importante influência para o som dos Nirvana).

Kurt Cobain

A lista, na ordem em que os discos aparecem:

1. Iggy and the Stooges, “Raw Power”
2. Pixies, “Surfer Rosa”
3. The Breeders, “Pod”
4. The Vaselines, “Pink EP”
5. The Shaggs, “Philosophy of the World”
6. Fang, “Landshark”
7. MDC, “Millions of Dead Cops”
8. Scratch Acid, “Scratch Acid EP”
9. Saccharine Trust, “Paganicons”
10. Butthole Surfers, “Pee Pee the Sailor” aka “Brown Reason to Live”
11. Black Flag, “My War”
12. Bad Brains, “Rock for Light”
13. Gang of Four, “Entertainment!”
14. Sex Pistols, “Never Mind the Bollocks”
15. The Frogs, “It’s Only Right and Natural”
16. PJ Harvey, “Dry”
17. Sonic Youth, “Daydream Nation”
18. The Knack, “Get the Knack”
19. The Saints, “Know Your Product”
20. anything by Kleenex
21. The Raincoats, “The Raincoats”
22. Young Marble Giants, “Colossal Youth”
23. Aerosmith, “Rocks”
24. Various Artists, “What Is It”
25. R.E.M., “Green”
26. Shonen Knife, “Burning Farm”
27. The Slits, “Typical Girls”
28. The Clash, “Combat Rock”
29. The Faith/Void, “Split EP”
30. Rites of Spring, “Rites of Spring”
31. Beat Happening, “Jamboree”
32. Tales of Terror, “Tales of Terror”
33. Leadbelly, “Leadbelly’s Last Sessions Vol. 1″
34. Mudhoney, “Superfuzz Bigmuff”
35. Daniel Johnston, “Yip/Jump Music”
36. Flipper, “Generic Flipper”
37. The Beatles, “Meet the Beatles”
38. Half Japanese, “We Are They Who Ache With Amorous Love”
39. Butthole Surfers, “Locust Abortion Technician”
40. Black Flag, “Damaged”
41. Fear, “The Record”
42. PiL, “Flowers of Romance”
43. Public Enemy, “It Takes a Nation of Millions to Hold Us Back”
44. Marine Girls, “Beach Party”
45. David Bowie, “The Man Who Sold the World”
46. Wipers, “Is This Real?”
47. Wipers, “Youth of America”
48. Wipers, “Over the Edge”
49. Mazzy Star, “She Hangs Brightly”
50. Swans, “Young God”

De certa forma, é possível misturar os artistas mais pop presentes na lista (como Beatles, REM e David Bowie) com as bandas mais sujas e barulhentas do Top 50 de Kurt Cobain (como Black Flag, Bad Brains, Flipper e Sex Pistols) para começar a forjar o que viria a ser o som dos Nirvana - algo agressivo, distorcido, alto e gritado, e ao mesmo tempo, doce, melódico, agradável e assoviável.

Kurt Cobain

De qualquer forma, para além de qualquer coisa, é uma bela lista - um excelente guia para quem quer entender o caldeirão de misturas que forjou os anos 1990, assim como um excelente ponto de partida para mergulhar no rock, punk, pós-punk, grunge e até mesmo no rap.

Kurt Cobain

A lista de Cobain regista não só o seu gosto musical, mas também um período histórico para a música popular ocidental, que se misturava e se experimentava ainda de forma livre e absoluta, como um auge que, ao mesmo tempo, era também um certo sinal de adeus.

Kurt Cobain