Loading...
Cristiano Ronaldo

“03.12.2018…
Chegou o dia da vergonha alheia…

O Mundo inteiro viu…
O Mundo inteiro sabe…
O Mundo inteiro reconhece…

Ninguém marcou mais golos em 2017/18 do que Cristiano Ronaldo, com 54 golos oficiais, 44 golos em 44 jogos pelo Real Madrid. 15 desses golos valeram-lhe o estatuto de Melhor Marcador da Champions League pela 6.ª vez consecutiva e pela 7.ª vez na sua carreira.

Por falar em Champions League, CR7 é o jogador com mais golos (121) na história da prova, com mais vitórias (100) na história da prova, com mais assistências (35) na história da prova e com mais títulos (5) na história da prova.

Para termos noção da real dimensão de Cristiano Ronaldo na maior competição de clubes do Mundo – criada em 1992, com 26 edições realizadas e a 27.ª em curso – só quatro clubes têm mais vitórias do que CR7 na história da prova: Real Madrid (154), Barcelona (141), Bayern Munique (131) e Manchester United (116). A seguir, neste ranking de clubes centenários e de dimensão planetária, vem um homem, apenas e só um homem, com 100 vitórias na Champions aos 33 anos e com “apenas” 16 edições disputadas.

Em termos colectivos, em 2018 conquistou a Champions League (Melhor Marcador de Sempre), o Mundial de Clubes (Melhor Marcador de Sempre), a Supertaça Europeia e a Supertaça de Espanha. Lembram-se daquele golo do outro Mundo ao Barcelona nessa final? Pois é… Foi expulso logo a seguir e punido com 5 jogos de suspensão! Alguém se lembra da última vez em que um jogador desta dimensão futebolística e mediática apanhou 5 jogos de castigo? Sem que nada o justificasse? Pois é…

Protagonizou, ainda em 2018, alguns dos feitos mais assinaláveis e memoráveis do ano, como o hat-trick frente à Espanha no Mundial 2018 e aquela mítica bicicleta (que vale por 10 Prémios Puskas!!!) em plena casa da Juventus e no meio de um hat-trick ao mítico Gigi Buffon.

Tornou-se o primeiro jogador do Mundo a marcar em 9 fases finais de grandes competições internacionais consecutivas de selecções. A saber: Euro 2004, Mundial 2006, Euro 2008, Mundial 2010, Euro 2012, Mundial 2014, Euro 2016, Confederações 2017 e Mundial 2018 sempre a facturar! Parece mentira, não parece? Mas não é…

É também, de há umas semanas a esta parte, o primeiro jogador do Mundo a ultrapassar a marca dos 400 golos oficiais nas 5 grandes ligas europeias, marcando golos atrás de golos na Juventus e somando-os aos que já marcara no Real Madrid e no Manchester United.

Tornou-se também o maior goleador de sempre em selecções nacionais no futebol de primeira linha – o Irão jogou quase sempre na Ásia, pelo que o avançado iraniano Ali Daei não pode nem deve, na minha opinião, ser aqui contabilizado – ultrapassando todas as grandes lendas do futebol mundial também neste capítulo em particular, como Ferenc Puskas, Pelé, Lionel Messi, Zlatan Ibrahimovic e tantos, tantos, tantos outros…

Protagonizou este ano a mais mediática e marcante transferência do Mundo, e em apenas quatro meses já é o jogador mais influente da Série A e da Juventus. Como se não fosse suficiente, tornou-se o goleador bianconero com o melhor arranque de sempre na Série A e o mais rápido de sempre a chegar aos 10 golos com a camisola da Juve, contribuindo assim para um dos melhores arranques de temporada na história da Vecchia Signora. Com CR7 em campo – excepção feita aos 5 golos com Valência e Young Boys após aquela inacreditável expulsão no Mestalla – a Juventus facturou 34 vezes em 17 jogos e Ronaldo esteve em 24 desses golos, marcando, assistindo, rematando para recarga ou tendo participação decisiva na construção da jogada ofensiva. Estamos a falar de intervenção directa em 71% dos golos do crónico campeão italiano!

Mostra uma vez mais a sua tremenda capacidade de superação, ultrapassando todas as polémicas injustiças e ataques que lhe foram endereçados nos últimos meses, em plena fase de adaptação a uma nova cidade, novo clube, nova cultura, novo país, nova língua, nova mentalidade… Mas a lenda continua!

Havendo justiça, a Bola de Ouro 2018 só poderia ir parar às mãos de Cristiano Ronaldo por uma simples razão: ninguém fez mais do que ele! O Melhor do Mundo fez tudo o que lhe competia dentro das quatro linhas e mereceu, inclusive, a reverência absoluta dos seus pares. Acima de tudo, garantiu o maior e mais importante reconhecimento de todos: o dos verdadeiros adeptos que adoram futebol e vivem o jogo pelo jogo! Sem políticas nem jogadas de bastidores!

Parabéns, Cristiano!
O verdadeiro Bola de Ouro 2018!”